PortalNippon = O seu conteúdo digital do Japão

Sábado, Feb 25th

Últimas atualizações01:06:59 PM JST

Você está aqui Alexandre Mauj
Alexandre Mauj

Alexandre Mauj

Origem japonesa + (mistureba européia+árabe) = mais um brasileiro que mora no Japão
Estudei Eletrônica na E.T.E Getúlio Vargas em São Paulo (meu conhecimento é pré-histórico nos dias de hoje.) .
Durante anos trabalhei na TV Manchete, em diversos setores.
E me formei psicólogo na Universidade São Marcos.
Paulistano do Jardim da Saúde, 36 anos, 8 anos de Japão.

Escrevo minhas experiências em um blog, Lost in Japan (http://lostinjapan.portalnippon.com).
E pela internet dekassegui dou meus pitacos.
De vez em quando podem me encontrar na mídia impressa (jornal International Press).
Conto com a paciência e a boa vontade dos leitores!
Yoroshiku

URL do website: http://lostinjapan.portalnippon.com

Creio eu que muitos pais ficam em dúvida sobre como explicar aos filhos 

episódios como o da chacina na escola de Realengo.

Ou terremotos.

crechecriancasjaponesassakura1

Apesar de ser um país praticamente sem violência, dona Natureza complica o panorama aqui no Japão.

Crianças aprendem cedo quais os perigos que um terremoto representa.

Talvez o método nipônico de explicar tragédias seja útil às crianças brasileiras compreenderem melhor a questão da violência e situações de risco.

crechecriancasjaponesassakura2

Crianças japonesas aprendem que um terremoto, tsunami, é algo que acontece independente da vontade humana.

Apenas pode-se tentar evitar um mal maior através da precaução e medidas de emergência, já que não há meios de controlar esta força natural.

Ou seja, crescem conscientes de que o mundo tem seus perigos e problemas.

Pais explicam que sim, também ficam assustados, inseguros e não gostam de terremotos.

Mas que, caso ocorra um, vale é o sangue frio na hora de se proteger.  Deve-se enfatizar o valor da união familiar, que fortalece o emocional e traz tranquilidade para agir corretamente.

Pais não devem se por na posição de super-heróis, que não se abalam e nada temem, com poder de proteger a família contra qualquer mal.

Assim a criança aprende que também precisa fazer a sua parte em uma situação de emergência: durante um terremoto, a criança vai se proteger em vez de ficar parada gritando "mamãe, papai, me salve".

crechecriancasjaponesassakura3

Estes procedimentos salvaram muitas vidas no recente terremoto que tivemos.

Se não fossem as medidas/treinamento de prevenção (e claro, a boa infra-estrutura local), milhões teriam morrido, já que a região atingida pelo terremoto Touhoku apresenta alta densidade demográfica.

crechecriancasjaponesassakura4

Claro que no Rio de Janeiro o problema não foi um terremoto, mas a loucura humana.

É muito importante que pais em todo o Brasil conversem sobre o ocorrido com seus filhos.

Não deixem que os pequenos absorvam apenas o conteúdo transmitido pela tv e noticiários.

Imagine a confusão mental de uma criança ao assistir horas de um Brasil Urgente, debates "edificantes" mediados por uma certa cantora de axé e semi-alfabetizados no horário nobre.

Ou programas vespertinos que são comandados por dois ex-jurados de Silvio Santos.

crechecriancasjaponesassakura5

Crianças precisam saber que existem adultos loucos, maus, pedófilos e situações de risco.

Que devem evitar contato com estranhos, lugares que adultos dizem ser perigosos.

Que devem prestar atenção, cuidar de si mesmas quando não estão junto aos pais.

E caso aconteça situação semelhante ao caso de Realengo (por exemplo, a casa ser invadida por assaltantes ou um sequestro), tentar se proteger da forma que puderem e não ficarem apenas em pânico.

crechecriancasjaponesassakura6

Caso as crianças fiquem com medo de ir à escola, explique que não podem deixar-se dominar por uma situação dessas, permitir que o mal e o medo vençam.

A vida não pode parar por causa do medo, pais precisam trabalhar, filhos precisam estudar. Todos ficam assustados, com medo, mas a vida deve continuar.

Sex, 28 de Janeiro de 2011 20:10

Ano Novo Chinês em Nagoya

Hoje começaram as festividades do ano novo chinês, na cidade de Nagoya.

Serão três dias de festa, com muita música, danças típicas chinesas, dragões e leões por toda a cidade.

É uma festa interessante, um contato direto com a cultura chinesa e suas antigas (e belas) tradições.

Ainda não pude conferir a festa deste ano, então apresento aqui alguns vídeos que fiz da festa do ano passado, 2010.

(os dragões chineses e leões,  percorrendo o centro de Nagoya - parque Hisaya, em Sakae)

Que todos tenham um feliz novo ano!

Sex, 14 de Janeiro de 2011 19:47

Japão, País Desgraçado

Veja esse interessante depoimento do jornalista Roberto Kovalick, da Rede Globo,
que morou no Japão (na capital, Tokyo) por dois anos -
o segredo do Japão para lidar com catástrofes naturais.

link do vídeo aqui! (canal da amiga @Leh_ou_Helena_)

Muitos amigos leitores me perguntam como o Japão lida com as catástrofes naturais.
Então responderei neste post. E já aviso: a intenção não é fazer comparação alguma (por favor, sem bairrismos) e sim mostrar que há solução para determinados problemas que enfrentamos durante tantos anos.

desastreBosaikun, o mascotinho da prevenção em um container de segurança.
Ele "fala" vários idiomas, para que todos estejam conscientes dos procedimentos de prevenção
contra acidentes e catástrofes naturais.

O segredo é a prevenção,  não esperar acontecer (ou repetir) o problema.

Se pensarmos bem, o Brasil é um paraíso (não tem terremoto, tufão, vulcão, é enorme e cheio de terra fértil, recursos naturais, clima bom, etc) e o Japão um inferno na terra - não é brincadeira o que a natureza é revoltada por aqui.

Se em um país tão problemático em questões naturais é possível levar uma vida tranquila e estável, sem preocupar com tufão, chuva, vento... porque em um país que tem tudo de bom, tão rico, a gente precisa ver cenas tão horrorosas cada vez que chove?

Por isso te digo: não aceite o discurso das autoridades que dizem "alagou porque choveu hoje o equivalente a um mês". Não repasse essas desculpas velhas, não ache que é algo sem solução.

É falta de vontade política mesmo. E de educação das pessoas, a falta de cidadania.

Quando passam tufões no Japão costuma chover em média 300 mm (para comparação - Rio de Janeiro,  enchente de abril de 2010, a maior de todas - 288 milímetros de chuva). E o Japão é um país montanhoso, morro é o que não falta por aqui.

Ou seja, aqui chove mais, fora o vento fortíssimo dos tufões.

E a chuva é por todo o país, não em áreas isoladas.

E claro, cada um de nós tem sua parcela de contribuição. Sei que não tenho leitores mal-educados, que acham que chão é lixeira, então peguem no pé dos porcos que estão à solta!

Meu parecer neste post pode ser bobo, infantilóide.

Mas está na hora das coisas começarem a mudar. Não vejo o brasileiro como um povo "menos", inferior, para achar que tanto sofrimento é algo normal.

Talvez para nós brasileiros que vivemos no exterior haja uma votação tão importante quanto a presidencial: a escolha dos membros do CRBE.

E para quem mora no Brasil saiba o que é o CRBE, como curiosidade.

brasileirosnomundocrbe

O Conselho de Representantes de Brasileiros no Exterior (CRBE) é o conjunto de 16 brasileiros radicados no exterior eleitos por voto eletrônico e que manterão uma interlocução entre os brasileiros que vivem fora do país e o Governo brasileiro.

A representação será regional, havendo 4 representantes para cada uma das seguintes regiões geográficas: 1. Américas do Sul e Central; 2. América do Norte e Caribe; 3. Europa; e 4. Ásia, Oriente Médio, África e Oceania.

O CRBE atuará como mecanismo de diálogo entre as comunidades brasileiras no exterior e o Governo brasileiro.

Auxiliará o MRE na preparação das Conferências “Brasileiros no Mundo”, acompanhará a implementação das demandas contidas na Ata de Reivindicações dos brasileiros no exterior e assessorará o MRE na definição de políticas em favor das comunidades brasileiras no exterior.

bandeira brasil japao

Quem mora fora do Brasil pode (e deve) dar seu voto até o dia 9 de Novembro.

Tenha seu passaporte em mãos. O número de seu passaporte será requerido na hora de votar.

A votação é via internet, através deste link.

Basta preencher os dados pedidos (são poucos, não se preocupe), escolher seu candidato e votar!

Tudo bem simples e rápido.

Não deixe de votar!

Lembram-se da iraniana que seria apedrejada, Sakineh?

Acusada de infidelidade?

Claro que sim, aposto!

sakineh-ir

Rosto que esteve presente em muitos sites e blogues, na mídia impresa, na tv.

Petições foram assinadas, tudo para evitar a morte desta mulher por apedrejamento, sob a acusação de adultério.

O Irã, cedendo à pressão internacional, suspendeu a sentença.

Mas...

Conforme o assunto deixou de ser notícia, deixou de ser lembrado, nova sentença à cidada iraniana foi marcada.

Foi dada ordem à execução de Sakineh, por enforcamento.

Data de hoje, 3 de Novembro.

Novamente a mídia se une para evitar mais uma barbárie contra uma mulher que simboliza todas as mulheres do mundo, condenadas por cidadãos/governos machistas, que se julgam no direito de apedrejar e enforcar uma mulher.

Registrado está o nosso protesto, da mesma maneira que fizemos na primeira data de condenação da mesma.

Esse tipo de ação vai adiantar de alguma coisa? Creio eu que não, o governo iraniano pouco se importa com a minha ou a sua opinião.
Mas não podemos deixar de registrar nossa indignação. E acreditar em um milagre.

free-sakineh

Liberdade à todas as mulheres do mundo!

Não podemos aceitar a violência contra a mulher, contra qualquer cidadão, como uma coisa normal e cotidiana.

Sex, 22 de Outubro de 2010 13:03

O Carnaval Eleitoral

serra-bolinha-papel

Carnaval 2010 Dose Dupla!
Eita que delícia. Começou o carnaval!
É bolinha de papel na cabeça, é bexiga d'água!

Toma-se uma bola de papel na cabeça e vamos fazer tomografia!
Eu vou tirar licença médica de uma semana, um passarinho k-gou na minha cabeça.

Pobres professores, todos com hematomas enormes por causa das bolinhas de papel.
E cuidado com as bexigas d´água no carnaval! Você pode morrer afogado!

Panorama Eleições 2010.

Meu sentimento? Procure no Youtube por "Aretuza Um Belo Dia no Parque" ou veja o vídeo abaixo que ela responde por mim.

Depois da eleição para Papa, agora temos a eleição Carnaval.
Melhor votarmos no Bush, que desviava melhor das coisas.

Tenho dito!

Obs: Quer jogar bolinha de papel no Serra também? Experimente este jogo.

Ter, 19 de Outubro de 2010 11:10

Eleições para o Papa brasileiro 2010

politica-religiao

Num ponto dou graças a Deus de estar no Japão.
Mesmo de longe, estou estressado!

Que panorama terrível este das eleições presidenciais deste ano!
Dois candidatos nada palatáveis.

Mas o problema não é esse, em verdade te digo.
É só abrir um jornal (virtual) e está lá: candidata x não é religiosa, candidato y reza na igreja x e conversa com padre z.
E seguem as notícias de "pastor evangélico declara seu apoio para y, gráfica imprime bilhoes de folhetos contra x por ordem do bispo tal".

Eu me pergunto: que país é esse?
Elege-se um presidente baseando-se em crença religiosa e não em plano de governo!
Candidata que faz sinal da cruz a cada dois minutos (e ainda erra o sinal), para mostrar que é religiosa. Candidato x conta seu passado de coroinha, de missa.
Amor a Deus? Tudo bem, que cada um tenha sua fé. Mas a eleição se passa, por acaso, no Vaticano?

Que democracia burra e infantilizada vemos hoje no Brasil!
Será que não temos uma população capaz de julgar um candidato POR SUA CAPACIDADE ADMINISTRATIVA, INDEPENDENTE DE SUA CRENÇA RELIGIOSA? Ou vamos eleger um presidente para rezar?
Sinceramente, com esse panorama, é melhor começar a rezar mesmo.
Por nosso país, por cabeças melhores, por voto de qualidade.
Continuamos com uma sociedade que não pensa, que se apega nos valores mais esdrúxulos na hora errada, que vota como se fosse votação de BBB.

Resultado de uma população-base totalmente despolitizada, sem um mínimo de análise crítica.
Vota-se no candidato amigo do líder religioso em vez de votar por um histórico, por capacidade de governo.
Claro, o voto é resultado da própria vida pessoal: aceita-se todo o tipo de dogma e ordem imposta por seu lider religioso. Assim o cidadão não precisa pensar em mais nada, nem na hora de votar!

Rezem muito, o país precisa disso!

Sex, 17 de Setembro de 2010 15:58

Brasileiro... por um dia?

brasileiros

Pois é, que beleza!
Copa do mundo, Brazilian Day, Dia do Brasil, todo mundo de verde-amarelo.

A camiseta verde-amarela, empoeirada, sai do armário e arfa gloriosa nos peitos tupiniquins.
Brasil,sil,sil,sil!
Tempos nos quais somos os melhores do mundo.
Brasil Pentacampeão na Copa, o país da alegria e do amor!

Brazillian DayPelas ruas, orgulhosos, caminhamos em altiva brasilidade.
Branco, (mas sem vermelho) verde, amarelo, azul.
Patriotismo. Exarcebado.

Triste contraponto.
Dias de alegria que confrontam anos de atitudes que depõem contra a imagem da pátria amada.
Te pergunto: orgulho de que? Apenas de uma bola que rola, de um show de samba, do povo alegre?

Nem preciso comentar a questão dos crimes graves cometidos por dekasseguis.
Não são poucos, todo mundo já sabe.
A criminalidade nos marca com um selo de "burajiru-jin, chotto abunai desu ne".

Quero tocar no ponto das pequenas atitudes. Coisas ao seu alcance que não são feitas. Ou são feitas de maneira errônea.
Erros cuja consequência é um dano devastador na imagem do nosso país.
E principalmente, de nós mesmos, brasileiros dekasseguis.

asaki-ueji_footer